Este monocasta da casta Alvarinho, uva mais emblemática da região dos vinhos verdes é envolvente, seco e persistente, este vinho é fresco e fácil de beber, de cor citrina, aroma de frutos secos com sobriedade aromática, na boca tem uma excelente acidez e persistência. Esta casta aromática harmoniza muito bem com pratos de origem asiática, sushis e sashimis em geral, igualmente a culinária indiana e a tailandesa, desde que não sejam pratos agridoces, harmoniza também muito bem com pratos à base de frutos do mar e com queijos do tipo Minas frescal, ricota, queijo coalho e mozzarella de búfala.

Este vinho verde da região dos Vinhos Verdes é produzido pela Casa de Vila Boa

A Casa de Vila Boa fica situada em Vila Boa de Quires, na região do Marco de Canavezes, a Casa de Vila Boa é uma das casas senhoriais mais imponentes da região. De fachada austera e com uma bonita torre que lhe dá um aspecto de fortaleza, a casa da família de Albuquerque de Vasconcelos Lencastre é originária pelo menos do século XIV, como atestam vários documentos da época. Sempre nas mãos da mesma família, também possui um exemplo impressionante de construção da época barroca: a fachada de uma casa senhorial inacabada construída em meados do século XVII por António de Vasconcelos Carvalho e Menezes.

Espalhada por mais de 100 hectares e re-organizada em 1973, a Casa de Vila Boa tem hoje cerca de 30 hectares de vinha, predominando as castas tradicionais da região, com destaque para o Trajadura, Pedernã, Avesso, Vinhão, Borraçal e também Alvarinho e Touriga Nacional. Vinho Verde tinto e branco, ambos com o rótulo da casa, são, sem sombra de dúvida, evidência da qualidade legada pelos seus antecessores.